RETIRO GERAL DE PROFESSORES 2020: UMA REALIDADE, APESAR DA DISTÂNCIA E DA PANDEMIA

RETIRO GERAL DE PROFESSORES 2020: UMA REALIDADE, APESAR DA DISTÂNCIA E DA PANDEMIA

Nos projetos divinos, estava preformado um grande Retiro Geral de Professores para os dias 12 e 13 de setembro de 2020. Isso foi evidenciado pelos cerca de 400 professores inscritos que participaram deste retiro.

Devido às restrições impostas pela pandemia, se comparado às edições anteriores, o evento ocorreu de uma forma diferente. Dessa vez, em dezenas de cidades do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Estados Unidos, cada professor comprometeu-se a estar em um local específico onde pudesse permanecer separado para Deus. Alguns ficaram em zonas rurais; outros, em casas de veraneio no litoral ou na serra; outros, em suas próprias casas; alguns, ainda, escolheram ficar nas igrejas – diversas áreas abriram as portas de seus templos para possibilitar aos professores a realização de um jejum congregacional.

Considerando as muitas dezenas de pessoas que acompanharam os professores neste propósito, o número de irmãos e irmãs que se dedicaram a orar e a jejuar durante esses dois dias ultrapassou 500 pessoas. Foram notórios a adesão e o envolvimento dos supervisores e encarregados de ensino, assim como dos professores de cada região, nesse grande compromisso estabelecido com Deus. Diversas áreas envolveram todos os membros das congregações, observados os limites impostos pelas medidas sanitárias, no encerramento desse grande retiro em um ambiente festivo e espiritual celebrando a vitória estabelecida por Deus para cada participante e para a igreja.

Em mensagem divulgada por meios eletrônicos de comunicação ao final do retiro, no domingo, o Pr. James Schimitt Vieira, Superintendente do Departamento de Ensino, agradeceu a participação de todos e mencionou, baseado em 2 Crônicas 30.10-12, a importância da unidade:

“O rei Ezequias, após estabelecer um movimento de santidade em Judá, enviou mensageiros a todo o Israel, a fim de convidá-los a participar também daquele avivamento e celebrarem a Páscoa em Jerusalém. No entanto, a maior parte das tribos rejeitou seu convite, e seus integrantes riram-se e zombaram de seus mensageiros. Apenas alguns de Aser, de Manassés e de Zebulom se humilharam e foram a Jerusalém. Embora estejamos pregando a mensagem de santificação, muitos, até mesmo integrantes de igrejas, rejeitam e zombam dessa mensagem. Assim, acontece nos dias de hoje como aconteceu nos dias do rei Ezequias. No entanto, a Bíblia revela-nos que, em Judá, ‘se fez sentir a mão de Deus dando-lhes um só coração, para cumprirem o mandado do rei e dos príncipes, segundo a palavra do Senhor’. Em Judá, havia unidade: um só coração, um só propósito, fundamentados na palavra do Senhor. Quando o rei da Assíria atacou Samaria, esta foi derrotada. No entanto, quando foi atacar Jerusalém, lá ele encontrou um povo unido pela Palavra. Encontrou um só coração unindo o rei e os habitantes da cidade. Havia um só propósito. A palavra de Ezequias era endossada e atendida pelo povo. A santidade de Deus era o princípio de vida adotado por cada habitante da cidade sob a liderança de Ezequias. Senaqueribe não encontrou simples pessoas, mas um gigante revestido da força do Senhor. Qual foi o resultado? O exército assírio foi destruído pelo Anjo do Senhor, que feriu, no arraial dos assírios, 185 mil soldados (2 Reis 19.35). Que sejamos uma unidade como foi Jerusalém naquele momento. E Deus sempre estará conosco, conduzindo-nos à vitória.”

A Superintendência de Ensino glorifica a Deus por ter recebido a graça de participar de mais este grande projeto estabelecido por Ele!

*Na imagem em destaque, púlpito do templo sede da Área de Capão da Canoa durante o retiro

About The Author

Equipe de comunicação da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus - Ministério Restauração.

Related posts

X