“LOUCOS PENTECOSTAIS? QUERO SER UM DELES!”

Quando nasci, meu lar não era cristão. Ao completar um ano de idade, minha família aceitou Jesus através de um culto doméstico perto de minha casa. A partir de então, comecei a dar meus primeiros passos na igreja e também a ter um vínculo de intimidade com Deus.

A jovem Ingrid relata sua trajetória até reencontrar-se com Cristo

Aos seis anos, fui batizada com Espírito Santo e já cantava na igreja. Porém, neste período minha família se desviou dos caminhos de Jesus, e o inimigo tentou de todas as formas me atingir. Um vizinho, tomado por Satanás, tentou me estuprar. Certo dia, o homem me chamou para buscar na sua casa algo que pertencia ao meu pai. Chegando lá, ele me trancou e eu, muito pequena, me desesperei e comecei a chorar. Trancada na sala da casa, clamei a Deus e, neste mesmo instante, o homem saiu da sala e eu corri para a porta. Puxei-a com uma força ”irreconhecível” aos olhos humanos para uma criança, mas Deus já estava movendo Suas mãos ao meu favor. Cada vez que puxava, a fechadura entortava e, finalmente, ela abriu. Saí correndo para minha casa e minha mãe ficou desesperada. Graças a Deus, não houve o ato. Através deste livramento, Deus falou com minha mãe revelando que a nossa família estava protegida por Suas mãos poderosas. Graças à demonstração de amor de Deus por nós, ela voltou aos caminhos de Jesus. Glória ao nome de Jesus!

Passaram-se quatro anos. Na escola, deixei-me influenciar pelas amizades do mundo e saí dos caminhos do Senhor, pensando que o mundo era “doce”. Mesmo longe, eu conseguia perceber os livramentos de Deus na minha vida, pois o Espírito de Deus me mostrava que o Senhor tinha projeto na minha vida e não era aquele caminho que ele tinha para mim. Mas eu endurecia meu coração.

Depois de alguns anos, meu pai me convidou para cantar músicas mundanas. Mas o interessante é que eu não consegui alcançar as notas, pois algo estranho me impedia. Não aceitava aquilo, porque, para mim, era natural cantar. Deus, então, usou um servo para dizer-me que eu voltaria a cantar como antes e eu sabia o que tinha que fazer e onde deveria estar.

Não estava feliz como antes, quando estava na presença do Senhor, e a cada dia descia um degrau.

Em dezembro de 2014, completei 10 anos afastada dos caminhos de Jesus e atada ao mundo da vaidade e da soberba, com a Oneomania (impulsividade por compras) tomando conta da minha mente numa tentativa vã de preencher o vazio da minha alma. Mas nada disso saciava minha alma.

Certa vez, no bairro onde moro ocorreu a morte de um jovem e comecei a questionar Deus sobre o destino da alma daquele jovem. “Será que ele tinha ouvido falar de Jesus alguma vez?” Deus, então, me disse: “e tu, que já ouviu, para onde iria a tua alma se morresse agora?” Eu me desesperei.

Um dia, recebi um exemplar do Jornal Restauração que anunciava o Retiro Geral da Juventude 2015. Então, decidi participar. No primeiro dia do evento, fiquei impactada com a ação do Espírito Santo e disse: “Deus! Como pode isso? Eu estou no meio de verdadeiros loucos pentecostais novamente. Senhor, não vim aqui em vão!” E, com lágrimas, eu disse: “QUERO SER UM DELES”. Um filme de minha vida começou a passar em minha mente e, no mesmo instante, a presença de Deus tomou conta de mim e Ele me falou: “Queres ser um deles? Tens a oportunidade. Eu sou o preenchimento da tua alma, negue-se a si mesmo e vá mais mil côvados”.

E foi assim que decidi voltar para os caminhos do Senhor e descer as águas batismais!

Ingrid Tâmara Rodrigues – Sede Internacional

About The Author

Related posts

X