DEUS, QUATRO HOMENS E UMA HISTÓRIA DE MILAGRES

DEUS, QUATRO HOMENS E UMA HISTÓRIA DE MILAGRES

“Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar…” (Ap 3.8)

Situações extremas enfrentadas por pessoas que vivem com o Senhor Jesus no coração produzem o crescimento do amor entre elas, em volume e qualidade. Podemos dar glórias a Deus pela graça que sobrevirá a cada um de nós e ao Ministério Restauração, depois que o Senhor, mais uma vez, provou a Sua fidelidade salvando a vida de amados irmãos, no dia 14 de dezembro de 2006, quando, por volta das 18 horas, nas proximidades da cidade de Capitão Leônidas Marques, no Paraná, foram envolvidos em um acidente rodoviário por um caminhão do tipo carreta bi-trem (o que há de maior trafegando nas estradas brasileiras), que se chocou com a camioneta que conduzia os pastores Humberto Schimitt Vieira (no banco dianteiro direito), Ildo Manica (motorista), José Venâncio Mallet e o Ev. Rubem Gutierrez (no banco traseiro). Veja os detalhes a seguir:

Rememorando os fatos

Os pastores Humberto, Ildo e Mallet, além do evangelista Rubem, dirigiam-se para a cidade de Toledo, no Paraná, onde participariam de um culto especial na Igreja Pentecostal Assembleia de Deus – Ministério Restauração. Saíram de Porto Alegre na manhã daquela quinta-feira e viajaram até o final da tarde, quando foram colhidos pela carreta, nas proximidades da cidade de Capitão Leônidas Marques.  

No momento do acidente, o veículo era conduzido pelo Pr. Ildo Manica, proprietário da camioneta S-10 em que viajavam. Até vinte minutos antes, o Ev. Rubem Gutierrez dirigia o veículo. Segundo o Pr. Ildo, “não houve tempo para nada”: a carreta saía de uma curva em declive, da qual ele se preparava para entrar, em sentido contrário, quando, de repente, ele viu a frente do Scania chegando. Enquanto o cavalo da carreta (cabine) fechava a estrada, na contramão, do outro lado, a dupla carreta (carroceria) fechava o restante da pista. Não havia como evitar o choque, que foi frontal. A camioneta S-10 dos pastores alcançara a velocidade máxima permitida na estrada e a da carreta certamente era maior, visto que descia com um peso bruto total de aproximadamente sessenta toneladas.

O Pr. Humberto não presenciou nada porque vinha dormindo, e o Ev. Rubem chegou a ver a aproximação da careta. Quem assegura ter visto tudo é o Pr. José Venâncio Mallet. Segundo ele, o motorista perdeu o controle da carreta na curva e não conseguiu retomar, partindo, então, para cima deles. Na ocasião, o Pr. Venâncio lembra de haver clamado por Jesus, enquanto via a carreta crescendo na sua direção.

A velocidade de ambos os veículos e o estado em que ficaram, tanto a carreta bi-trem, como a camioneta, esta literalmente “mastigada”, faziam com que os passantes, mesmo experientes caminhoneiros, declarassem mortos os ocupantes da S-10. A carreta teve sua parte frontal (cabine) destruída.

Atrás da camioneta, trafegava um automóvel Astra, que também se chocou contra ela, completando o quadro desolador.

Milagres no momento do acidente

Certamente, todos puderam contar com a presença de Deus no momento do choque.

A primeira evidência de milagres se prende ao fato de não terem ocorrido mortes, apenas resultando feridos três dos pastores (Pr. Humberto, Pr. Ildo e Pr. Mallet), restando sem escoriações e prestando socorro aos demais o Ev. Rubem Gutierrez.

A segunda evidência de milagres está no fato de a carreta haver parado no momento do choque. Ora, naquele caminhão desciam quase sessenta toneladas desgovernadas e em curva. Era de se prever que – mesmo após o choque – a carreta continuasse arrastando a camioneta e não que parasse imediatamente como se houvesse sido segurada por um paredão, o qual a S-10 do Pr. Ildo Manica evidentemente não representava.

Milagres logo após o acidente

Em seguida ao choque, debaixo de uma chuva, antes fraca e já agora bem forte, surgiu um automóvel tripulado por dois homens, que perguntaram ao Ev. Rubem se eles eram pastores. Quando souberam que sim e que pertenciam à IPAD Ministério Restauração, disseram conhecer – de nome – e admirar o Pr. Humberto Schimitt. Então, passaram a ajudar no resgate. Inclusive, recolheram os pertences dos feridos, para evitar furtos, retendo-os até o sábado, quando o Ev. Rubem pôde buscá-los.

Simultaneamente, chegaram caminhoneiros e demais motoristas, que ajudaram a saírem dos escombros os pastores Ildo Manica, preso entre as ferragens, e José Venâncio Mallet, com ferimentos na coluna, pelo que carecia de uma maca, logo trazida pela ambulância local.

Os milagres se foram sucedendo

Tomadas as providências de resgate dos feridos, para Porto Alegre, as soluções passaram a se mostrar rápidas e – de fato – milagrosas, mesmo no dizer dos médicos que participaram dos seus tratamentos. O Dr. Eliseu Santos, Vice-Prefeito de Porto Alegre na época e médico traumatologista, que acompanhou desde o início todo o drama dos pastores acidentados, envidando todos os esforços no intuito de obter a remoção e a internação, fez questão de frisar que o fato dos pastores não terem morrido ante o choque frontal com uma jamanta e o estado em que ficaram os veículos, associado ainda à velocidade da recuperação dos traumas, aponta em uma só direção: “MILAGRE! DEUS ESTEVE E ESTÁ PRESENTE E COM MÃO FORTE ESTÁ A PROTEGER O MINISTÉRIO DO PR. HUMBERTO E O DE SEUS COMPANHEIROS.”

O Pr. Humberto foi submetido a uma cirurgia no maxilar, cujo único inconveniente foi ter que ficar restrito a falar o mínimo possível e não poder rir ou mastigar durante o período de cicatrização.

O Pr. José Venâncio foi submetido a duas cirurgias na coluna cervical, quando corrigiu também um antigo problema de hérnia de disco. Segundo os seus médicos, ele não restou tetraplégico por milagre.

O Pr. Ildo Manica – primeiro a ser liberado do hospital –  havia deslocado o fêmur, pelo que, em casa, aguardou a cicatrização das lesões com a perna imobilizada, eis que também quebrou um dos dedos do pé e sofreu luxação em outro. Observe as fotos da camioneta, no lado do motorista, e se pergunte: como foi possível que esse homem e o Pr. Humberto (que também estava no banco dianteiro) saíssem vivos dos escombros?

Já na terça feira, dia 26/12/06, o Pr. Humberto Schimitt surpreendeu a todos com a sua presença no culto da Noite de Natal, e no dia 31 de dezembro, compareceu no culto de final de ano, quando falou à Igreja e recolheu dos irmãos os pedidos de oração para o ano de 2007, assegurando que leria e intercederia individualmente por cada um deles. O pastor lembrou ainda que seu pedido para o ano de 2006 era a aquisição da sede própria para a igreja, milagre que o Senhor já lhe havia alcançado!

No culto de 9 de janeiro, terça-feira, os quatro envolvidos no acidente compareceram e confirmaram a rápida recuperação alcançada pela mão de Deus, quando oraram e testemunharam junto à Igreja, que demonstrou estar preparada para permanecer unida, fortalecida na oração e no jejum em qualquer que seja a circunstância, não deixando arrefecer o fogo do Espírito Santo em seu meio.

O episódio serviu para unir ainda mais a todos, porquanto, é consabido, as situações extremas, quando enfrentadas por pessoas que mantêm afinidades, fazem com que o amor entre elas cresça em volume e qualidade. Todos puderam dar glórias a Deus por tudo o que ocorreu e pela graça que sobreveio a cada um e ao Ministério Restauração!

About The Author

Equipe de comunicação da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus - Ministério Restauração.

Related posts

X