FELIZ ANIVERSÁRIO PARA TODOS!!!! – Confira o texto do Pr. Humberto Schimitt Vieira
Photo Credit To : Arquivo Histórico - Um dos primeiros cultos do Ministério Restauração

FELIZ ANIVERSÁRIO PARA TODOS!!!! – Confira o texto do Pr. Humberto Schimitt Vieira

Hoje é 14 de abril de 2019. Há quinze anos, em Porto Alegre, aparecia o Ministério Restauração. De madrugada, enquanto meditava sobre isso, vieram ao meu coração as palavras do salmista: “Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios. Ele é quem perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia” (Sl 103.1-4).

É comum, para nós, seres humanos, esquecer ou, ainda, não valorizar os benefícios de Deus. Isso é parte da miséria do coração humano, sobre o qual fala Jeremias: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jr 17.9). Por isso, o salmista adverte a si mesmo a combater a iniquidade chamada ingratidão e a valorizar o que Deus nos dá e o lugar onde nos põe. Ao ler essa passagem bíblica, lembrei-me de que, na semana que terminou ontem, enquanto orava no devocional dos colaboradores que trabalham na administração da nossa igreja sede, meu coração se encheu de um gozo do Espírito ao ouvir uma irmã clamar com um coração quebrantado “oh, Senhor, ensina-nos valorizar o lugar onde o Senhor nos colocou!” Aleluia.

Imerso nesses devaneios, retroagi no tempo, para o dia 12 de maio de 1984. Era membro de um ministério em que os padrões de santidade tinham sido corrompidos. Se falava muito em amor, mas tudo não passava de uma desculpa para tolerar o pecado. Colegas de juventude fumavam maconha e tomavam cerveja antes do culto. Outros tantos, depois do culto iam para a balada. Havia um grupo, inclusive, que saía para roubar acessórios de carro. A vaidade, sensualidade e mundanismo estavam prevalecendo na estrutura da organização. Eu me sentia só. Era um começo de tarde de sábado, eu teria que ir para a aula do curso de teologia. Uma angústia tomava conta de mim. Uma dúvida assolava minha alma, e diante de Deus eu gemia: “estarei certo em entender a santidade como me ensinaram meus pais? A Bíblia realmente é a palavra de Deus? Temos que segui-la como está escrito? Ou ela apenas contém a palavra de Deus? Estarei eu certo, enquanto a maioria dos irmãos estará errada?”

Saí da oração e fui tomar o ônibus. Depois de descer em frente ao estádio Olímpico e seguir a pé em direção à igreja onde era ministrada a aula, quando passava em frente a um condomínio chamado CORIGHA, ouvi a voz de Deus de uma maneira impressionante. Era a minha primeira experiência assim com Deus. O Senhor me perguntou: “o que vês?” Eu respondi: “uma multidão de pessoas que cobre a rua indo para o estádio”. “E quantos estão indo para a igreja?” Respondi: “só eu, Senhor”. Então, Deus me disse: “ainda que andes sozinho contra a multidão, ainda que andes sozinho contra a correnteza, ande com a minha Palavra, pois aí Eu estarei contigo”. Prossegui chorando pela rua, e quando cheguei na esquina das ruas José de Alencar e Mariano de Matos, em Porto Alegre, o Senhor voltou a falar: “mas tu nunca estarás só. Em todos os tempos eu sempre tenho os meus, os sete mil que não dobram os joelhos diante de Baal”.

A partir dali, nunca mais fui o mesmo. Uma tremenda convicção na veracidade da Palavra de Deus se apossou de mim.

Porém, eu era apenas um jovem de 18 anos no meio de um sistema religioso que a cada dia se afastava mais dos princípios que o haviam norteado. Comecei uma luta por buscar a Deus e combater o pecado que havia corrompido a organização.

A convicção era tanta, que eu tinha certeza de que iria mudar o sistema. Nessa luta, tive choques que só não me fizeram desanimar na fé porque Deus foi fiel em sua promessa. Ele nunca me deixou só.

Naquela jornada, não consegui fazer aquele sistema voltar a ser o que era antes de se corromper. Mas na faina de fazer aquilo que me era posto na mão, orar, jejuar, escrever e viajar muitos milhares de quilômetros pregando a Palavra de Deus, fui descobrindo que o Deus que falara comigo havia falado com outros. Fui encontrando os sete mil.

Chegou o tempo, então, em que Deus começou a falar, usando profetas, sonhos, visões, falando ao meu espírito e por meio da sua Palavra, que era tempo dos sete mil romperem com Jezabel e Acabe. Era tempo de arrumar o altar. Era tempo de descer o fogo santificador e purificador do Espírito Santo.

Foi assim que um mês antes de se completarem 20 anos daquele dia em que ouvira a voz de Deus, no dia 14 de abril de 2004, aparecia na terra o que já estava no coração de Deus: o Ministério Restauração.

Somos uma igreja de pessoas perfeitas? Evidentemente não. Mas “estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus” (Fp 1.6).

Por que estou certo disso? Porque vejo na quase totalidade dos nossos obreiros e membros um desejo de santidade. Vejo homens e mulheres em que Deus já operou o querer. Ora, considerando que “Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade” (Fp 2.13), tenho por certo que, se Ele operou o querer, efetuará também o realizar.

Quando queremos a santidade, quando estamos prontos a obedecer integralmente toda Palavra de Deus, quando estamos dispostos a permitir que Deus mude todo o nosso comportamento e estilo de vida, interna e exteriormente, ainda que não tenhamos alcançado a perfeição, somos perfeitos para o Senhor, desde que andemos de acordo com aquilo que já alcançamos (Fp 3.13-16).

Que doçura para a alma de quem anseia por Deus é poder estar em um ministério onde se pode pregar toda a Palavra de Deus, onde aquele que prega a santidade é respeitado, e não recriminado.

Por isso, neste 14 de abril, bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios. Ele é quem perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia.

Bendizei ao Senhor todos os que fazem parte desse projeto de Deus. Não sejamos ingratos. Não tenhamos em pouca conta tudo o que o Senhor tem feito por nós.

Feliz aniversário! Feliz 15 anos! Dias 20 e 21 de abril, vamos estar juntos, a partir das 8h30min da manhã, no nosso Congresso Geral, para render graças ao Senhor. O fogo, mais uma vez, descerá sobre o altar.

Pr. Humberto Schimitt Vieira – Presidente da IPAD Ministério Restauração

Clique aqui para saber mais sobre as comemorações do 15º Aniversário do Ministério Restauração

About The Author

Equipe de comunicação da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus - Ministério Restauração.

Related posts

3 Comments

  1. Ione Santos

    Louvado seja o Senhor, por ter aberto está porta, de escape
    O que seria de nós se continuassemos aonde estávamos?! Mas, Deus no seu infinito amor, usou de misericórdia, encontrou um filho que chorava, por vidas que precisavam de um Pastor, fiel e temente a Deus, assim surgiu o ministério restauração. Sou grata ao Senhor, por fazer parte deste rebanho . Glória Deus, parabéns a todos, que estão buscando fazer o que Jesus ensinou… Amém

  2. Moisés Soares Alves

    Louvado seja Deus! Graças a Deus eu faço parte dessa história! Isso é algo maravilhoso e fruto das misericórdias de Deus para a minha vida.

    Moisés Alves.

Comments are closed.

X