DEPARTAMENTO DE APOIO AO ESTRANGEIRO REALIZA SEMINÁRIO SOBRE ADORAÇÃO E SANTIFICAÇÃO EM ARROIO DO MEIO/RS

DEPARTAMENTO DE APOIO AO ESTRANGEIRO REALIZA SEMINÁRIO SOBRE ADORAÇÃO E SANTIFICAÇÃO EM ARROIO DO MEIO/RS

Nos dias 25 e 26 de julho, na cidade de Arroio do Meio/RS, o Departamento de Apoio ao Estrangeiro da Sede Internacional do Ministério Restauração realizou um abençoado seminário sobre Adoração e Santidade. O Pb. Pascal Silas Thue e o Pb. Vinícius Lazzari ministraram a mensagem de Deus para irmãos que congregam naquela cidade, a maior parte de origem haitiana.

No sábado, das 14h às 17h30min, após um período de oração, iniciou-se a ministração sob a direção do Pb. Pascal Silas, que traduziu a mensagem trazida pelo Pb. Vinícius Lazzari, do português para o francês. A mensagem teve foco na adoração a Deus.

O tema não ficou baseado somente na adoração referente ao papel do louvor musical, mas na adoração em contraste com a idolatria moderna, diferente da idolatria nos tempos antigos, que era baseada em adoração a deuses pagãos ou líderes políticos. “Se colocarmos a nossa vontade acima da vontade de Deus, também estaremos cometendo pecado de idolatria, já que a Bíblia compara a obstinação com o pecado da idolatria, assim como fez o rei Saul”, disse o pregador.

O culto da noite iniciou-se às 19h30 min e continuou sendo trabalhado o assunto da adoração por ambos pregadores, que se revezavam na mensagem revelada. O culto foi dirido pelo Pb. Pascal Silas e a pregação ficou a cargo do Pb. Vinícius Lazzari. O preletor contou seu testemunho de conversão, mostrando como Deus o tirou do mundo do esporte de competição, onde praticava o boxe, para trazê-lo à maravilhosa luz de Cristo. As mãos que antes utilizava para bater no seu adversário agora são usadas para abraçar as pessoas e fazer a obra de Deus. Além disso, relatou também como foi milagrosamente aprovado para cursar a Faculdade de Medicina. Tudo para a honra e Glória do SENHOR JESUS. No final do culto, algumas visitantes e irmãos da congregação foram à frente receber oração, tudo dentro das recomendações sanitárias exigidas nesse período de pandemia. O culto terminou com a presença notória de Deus no meio da Igreja.

No domingo de manhã, após um período de oração e louvores, o seminário foi retomado, com a segunda parte sobre a adoração. Contamos com a participação do Pr. Maximiliano Donato, supervisor da Sub-Região Vale do Taquari, junto com alguns irmãos da congregação Lajeado. O Pb. Pascal Silas e o Pb. Vinícius Lazzari novamente ministraram em conjunto a palavra, que foi traduzida dessa vez pelo Ir. Kenly Emanuel Garaud para o idioma crioulo, facilitando a compreensão dos irmãos haitianos.

A seguir, alguns trechos mais importantes da ministração com base em João 4.21-24:
“Há várias formas de expressão da adoração na maneira visível. Porém, nenhuma forma de adoração visível ou corpórea é reflexo da espiritualidade na vida do crente. A expressão é conforme a personalidade de cada um, mas a Palavra nos diz que os verdadeiros adoradores adoram a Deus em espírito, ou seja, sob a direção do Espírito Santo, pois Ele habita no espírito do crente; e em verdade, ou seja sem falsidade, movido por Cristo, que é a Verdade. Vemos a Trindade no ato da adoração. Se a Palavra fala que Deus Pai procura os verdadeiros adoradores, é porque há também os falsos. E se Deus os procura, é porque não estão em grande quantidade. O sinal de um verdadeiro adorador é a intimidade com Deus. Como no caso de Elias, quando invocou o nome do Senhor e ele respondeu com fogo. Elias não precisou fazer uma cena teatral para chamar a atenção de Deus, porque ele tinha comunhão com Ele. O que o profeta fala vem do Espírito de Deus, e o Pai não pode recusar aquilo que vem do Seu Espírito”.

“Se adorar fosse pular, o paralítico não poderia adorar. Se adorar fosse gritar, o mudo não poderia adorar a Deus. Então vemos que adoração é algo muito mais profundo. Adorar é uma REVELAÇÃO”.

“Adoração é um instrumento da manifestação de Deus. Por isso, Deus valoriza a adoração e mandou construir um tabernáculo mesmo no deserto. Sacrificar também é adorar. Hoje, não sacrificamos animais. O sacrifício é o coração quebrantado e humilde. Em 1Co 3.16, lemos que Deus habita em tabernáculo humano, não mais em templos construídos. Em Rm 12:1, a Palavra nos diz: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”

“Há lugares de culto em que as pessoas só conseguem adorar a Deus se houver instrumentos musicais, pois vinculam a adoração a barulho. A verdadeira adoração, porém, não depende de lugar e nem de instrumentos. Os instrumentos só serão bênção se o instrumentista estiver com a vida no altar. A adoração pode trazer profecia, pode trazer cura no meio da igreja. O adorador que usa instrumentos é uma bênção, mas não é um fim em si mesmo se não estiver em santificação. Há coisas que Deus envia um anjo para fazer, mas há outras que o próprio Deus vem com Sua glória em meio a adoração. Deus recebe diretamente a adoração dos verdadeiros adoradores”

Houve momentos de oração, louvor e adoração conduzidos pelo Ir. Alison Martins Fernandes, supervisor de jovens da Sub-região Vale do Taquari, e pelo Ir. Pascal Silas. Também houve a apresentação de duas crianças para receber a oração da igreja, com a autorização do Pb. José Fernandes, dirigente da congregação.

A seguir, foi abordado o tema “Santificação”. Veja alguns trechos importantes da ministração:
“Não existe explicação completa do que significa santificação, assim como não há uma definição simples para a palavra amor. Quem é santo é separado, não é misturado, contaminado. Porém separação como a dos fariseus não é o suficiente, pois eles se ensoberbeceram na sua separação. Os fariseus não eram separados para Deus, mas eram para eles mesmos. Todos os atributos de Deus são importantes, mas santidade é único atributo de Deus que é repetido três vezes. A santidade que Deus nos requer é para nos comparar a Ele, não para se comparar ao outro, como está escrito em 1 Pe 1.16.”

“Muitos que acham que só podem se achegar a Deus quando forem santos, especialmente pessoas que vivem em pecado e que são evangelizadas, se sentem impedidas de ir na igreja por vergonha da sua condição. Então, elas dizem que irão à igreja somente quando melhorarem, como se fosse possível nós contaminarmos Deus com nosso pecado. Isso é um grande engano, pois esconde uma falsa humildade e uma grande soberba. Obviamente, somos todos indignos, somente Jesus é digno, e pelo seu sacrifício é que podemos entrar na presença de Deus.”

Ao final do seminário, muitos irmãos foram à frente receber a oração. Houve, também, momento de aconselhamento. A bênção final foi proclamada pelo Pb. José Fernandes, que encerrou o seminário por volta de 14h, com agradecimentos.

Louvamos a Deus por mais um trabalho realizado para a honra e glória do Seu nome. Mesmo na pandemia, a obra continua, e o Dpto de Apoio ao Estrangeiro avança junto com DEUS!

About The Author

Related posts

X