UM SEGREDO PARA RECEBER A BÊNÇÃO DE DEUS

Enquanto somos orgulhosos e queremos arguir perante Deus, estamos perdidos. Jamais poderemos argumentar qualquer coisa com Deus, porque os nossos pensamentos não são os pensamentos de Deus: “Assim como são os céus mais altos que a terra, assim são mais elevados os pensamentos de Deus que os dos homens” (Is 55.9). O nosso coração é enganoso. Os nossos raciocínios são, na maior parte das vezes, falsos, quando queremos penetrar no eterno, no mundo espiritual. Porque Deus é espírito e vive no mundo espiritual. Enquanto nós vivemos em um mundo material.

           

Quando Deus criou o ser humano, Ele o criou a sua imagem e semelhança e acima de toda a criação. O homem é superior a toda a natureza porque Deus o criou assim. Deus ordenou a Adão que dominasse sobre todas as coisas da terra e desse nome a tudo que existe.

Mas o fato do homem ser superior, não faz dele um deus e nem justifica ele perante Deus. O homem continua sendo um homem e Deus continua sendo Deus. Quando Adão e Eva ainda não haviam pecado, eles eram a imagem e semelhança de Deus. Imagem é a reprodução de uma realidade. Quando você chega diante de um espelho, ali está a sua imagem, mas sua imagem não é você. No momento em que você sair da frente do espelho, desaparece a imagem que estava no espelho. Assim foi com Deus e o homem. O homem era a imagem, a projeção de Deus, mas, no momento em que Deus saiu da vida do homem, a imagem de Deus desapareceu.

A Bíblia nos ensina que, embora o homem seja feito a imagem e semelhança de Deus, ele não é um deus. Portanto não tem condições de argüir perante Deus. Jó tentou discutir com Deus e Deus começou a fazer-lhe algumas perguntas. “Onde tu estavas, Jó, quando eu criei o mundo? Quando eu estendi os céus? Tu és apenas um homem, Jó!”

O ser humano tem a tendência de se sentir superior e essa tendência é insuflada por Satanás, porque um dia ele também quis ser igual a Deus. O diabo coloca essa ambição no coração do ser humano, para que ele ache que tem algum direito perante Deus. Mas a Bíblia nos ensina que as misericórdias do Senhor são a causa de nós não sermos consumidos:

“O ser humano não tem condições de discutir com Deus”

As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã” (Lm 3.22-23a).

Talvez alguém pense que Deus está querendo humilhar o ser humano. Mas não! Deus não precisa humilhar o ser humano, porque o homem já é pequeno. Ele não precisa ser humilhado por Deus para que fique em seu devido lugar. Pelo contrário, este versículo está nos dando uma segurança extraordinária em Deus.

Deus não está querendo nos rebaixar, mas nos dar um consolo. Deixe-me contar uma história que a Bíblia relata. Diante do Calvário havia cinco tipos de pessoas. O primeiro grupo foi representado pelo malfeitor que blasfemou contra Jesus. É o grupo de pessoas que afronta, não compreende a grandiosidade de Deus e querem igualar-se a Ele.

O segundo tipo são aquelas multidões que, curiosas, chocaram-se com a visão do Calvário. Diz a Bíblia que elas, batendo no peito, desceram o monte gritando e se lamentando. O desespero tomou conta daquelas pessoas porque não compreendiam aquilo que viam.

O terceiro grupo de pessoas eram os seguidores de Jesus. Segundo Lucas, aqueles que o seguiam desde a Galiléia. Eles tinham acompanhado Jesus todos os dias, também nas horas difíceis e amargas. Diz a Bíblia que eles estavam no Calvário e, de longe, contemplavam aquela cena.

O quarto grupo era representado pelo centurião romano que comandava aquele grupo de soldados que tinha ido crucificar a Jesus. Quando ele viu a morte do Senhor Jesus e todos os sinais que aconteceram na natureza, ergueu a sua voz, deu glórias a Deus e disse: “Verdadeiramente esse era um justo”.

Conta-nos a Bíblia que havia um quinto grupo, composto por apenas uma pessoa. Era o malfeitor crucificado ao lado de Jesus. Quando o outro malfeitor zombou do Senhor, este olhou para o seu companheiro e falou: “Tu não sabes o que está dizendo. Nós estamos aqui porque merecemos, mas esse aí do meio não fez mal nenhum”.

Diante desses cinco tipos de pessoas, quem, perante a ótica humana mereceria ser abençoado ali no Calvário?

Poderíamos desde logo descartar o malfeitor que blasfemou de Jesus. Poderíamos também descartar aqueles que, embora se compadecessem de Jesus, foram embora.

Talvez o centurião merecesse receber a bênção do Calvário, porque ele deu glórias a Deus. Ou, quem sabe, os seguidores de Jesus, porque eles o acompanharam durante três anos, mesmo nas horas mais difíceis. Mas a Bíblia nos mostra que nenhum desses recebeu nada no Calvário. Nenhum recebeu a bênção do Calvário.

Quem recebeu a bênção do Calvário foi o segundo malfeitor. Enquanto os discípulos estavam seguindo a Jesus, ele estava praticando crimes e fazendo coisas erradas, mas naquela hora do Calvário, ele confessou a sua miséria, reconheceu que não tinha bem nenhum e que merecia estar na cruz. Mas ele olha para Jesus e clama por misericórdia: “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”.

Esse recebe o olhar meigo, penetrante e poderoso de Jesus e ouve o Senhor dizer: “Hoje mesmo estarás comigo no paraíso”.

“A bênção do Calvário foi recebida por quem reconheceu a sua  miséria”

Talvez você não compreenda isso. Eu também não. Porque as misericórdias do Senhor são tão altas que não podemos compreender.

Eis aqui o segredo para recebermos a bênção de Deus: quando reconhecemos que estamos aqui por misericórdia e que só podemos receber a bênção de Deus por misericórdia. Quando reconhecemos que as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos. Nós que outrora andávamos de “peito estufado”, apontando o erro dos outros, vamos reconhecer que somos tão maus como aqueles cujos erros apontávamos.

Se os irmãos que seguiam a Jesus naquela sexta-feira tivessem aproximado-se da cruz e falado: “Jesus, embora estejamos há três anos contigo, não somos mais que esses dois malfeitores, mas nós clamamos pela tua misericórdia”. Então, certamente, alguma coisa eles levariam do Calvário.

Mas não fizeram isso. O que eles levaram do Calvário foi apenas medo e decepção. Uns foram pescar, outros voltaram para as suas casas. Eles se dispersaram. Nenhum saiu abençoado. Eles mereceriam a bênção pela ótica humana. Mas, quando Deus olha para a nossa justiça, ela é como um trapo de imundícia diante dEle. Deus quer que reconheçamos que a sua misericórdia é a causa de não sermos consumidos. Essa é também a razão pela qual somos abençoados por Ele.

Confie na misericórdia de Deus e descanse nas Suas mãos. Reconheça que você não é nada e humilhe-se na sua presença. A Bíblia diz que Deus encerrou todos debaixo da maldição, para com todos usar de misericórdia. Muitos não recebem o batismo com o Espírito Santo, porque dizem que não merecem. Não merecem mesmo. Outros acham que o seu passado de erros justifica o seu sofrimento atual. Realmente, você merece sofrer mais ainda. Mas há uma boa notícia, Deus quer estender a Sua misericórdia sobre você.

Deus quer dizer a você que é um especialista em achar o erro dos outros, que você é tão errado quanto eles. Tanto uns quantos os outros, se não fosse a misericórdia de Deus já estariam consumidos.

Quando compreendemos o que é a misericórdia de Deus e que dela dependemos, nos tornamos em novas criatura e começamos a olhar tudo de uma maneira diferente. Então, Deus nos levantará e nos abençoará.

Moisés estava no deserto de Midiã, com 80 anos de idade. Há 40 anos, ele estava pastoreando ovelhas. Deus se apresenta para aquele ancião, mas Moisés diz: “Deus, eu não posso. Eu sou homem de língua pesada. Talvez, se eu ainda fosse um príncipe, poderia fazer alguma coisa”. Mas Deus quer ser glorificado pela sua misericórdia. E Moisés tirou o povo do Egito.

Deus falou para Jeremias: “Eu vou te usar”. Jeremias retrucou: “Eu não posso, Deus. Eu sou apenas uma criança, eu não sei falar”. Então sim Deus pôde ser glorificado em Jeremias. Pois, se ele achasse que tinha condições, a glória seria para ele próprio.

Deus encontrou-se com Isaías no templo. Isaías caiu por terra e disse: “Ai de mim que vou perecendo, porque os meus olhos contemplaram a glória do Senhor de Israel”. Então Deus olha para aquele homem caído aos seus pés e diz “É este que eu quero usar, porque ele reconhece a minha misericórdia”.

A Bíblia diz que a salvação não é por obras para que ninguém se glorie. Mas é pela fé na Sua misericórdia.

Você merece receber a bênção de Deus? Se você acha que não merece, então você está pronto para recebê-la. Glorifique a Deus pela Sua misericórdia.

About The Author

Pr. Humberto Schimitt Vieira

Presidente da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus Ministério Restauração, no Brasil, e do “Restoration Ministries”, nos Estados Unidos da América. Bacharel em Teologia, é conferencista, editor, professor de Missiologia e autor de diversos livros

Related posts

X