TO DRINK OR NOT TO DRINK, THAT IS THE QUESTION (BEBER OU NÃO BEBER, EIS A QUESTÃO)

TO DRINK OR NOT TO DRINK, THAT IS THE QUESTION (BEBER OU NÃO BEBER, EIS A QUESTÃO)

“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao SENHOR: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio.” Salmo 91.1,2

William Shakespeare cunhou a famosa frase “to be or not to be, that is the question” (ser ou não ser, eis a questão), pronunciada por Hamlet, príncipe da Dinamarca, personagem central da tragédia de mesmo nome. Na peça, um fantasma lhe revelara que o Rei, seu pai, fora morto pelo próprio irmão que, se isso não bastasse, um mês após o falecimento, casara com a viúva, sua ex-cunhada e mãe de Hamlet.

Desesperado, Hamlet questiona a própria existência. Põe em dúvida se vale a pena “ser”. Não valeria a pena “não ser”? A morte não seria melhor do que a vida?

Para o cristão, não há essa dúvida. A partir do momento em que aceitamos seguir Jesus, e lhe entregamos TOTALMENTE nossas vidas, aceitamos também beber o cálice que ele bebeu.

Os discípulos estavam brigando sobre o que eles queriam “ser”. Cada qual queria a posição mais elevada no reino de Deus. Jesus, então, lhes respondeu: “Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu estou para beber? Responderam-lhe: Podemos.

Então, lhes disse: Bebereis o meu cálice; mas o assentar-se à minha direita e à minha esquerda não me compete concedê-lo; é, porém, para aqueles a quem está preparado por meu Pai” (Mt 20.22,23).

A questão do cristão não é “ser ou não ser”, mas é “beber ou não beber”. A partir do momento em que aceitamos andar com Cristo, e beber o cálice que ele bebeu, de renúncia e total obediência ao Pai, não nos preocuparemos com o nosso “ser”. Uma vez estando mortificada nossa vontade, viveremos pela vontade dEle, de acordo com aquilo que está preparado pelo Pai.

Na hora da angústia, não faremos como Hamlet, mas como Cristo: “Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora” (Jo 12.27).

A certeza de estar no plano de Deus é o melhor remédio para a nossa alma. Entremos nesse descanso. Aceitemos o cálice do Senhor, ainda que para bebê-lo tenhamos que estar constantemente fazendo a oração do Getsêmani: “não seja o que eu quero, e sim o que tu queres” (Mc 14.36).

About The Author

Equipe de comunicação da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus - Ministério Restauração.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X