A BÊNÇÃO DA OBEDIÊNCIA
Photo Credit To Unsplash

A BÊNÇÃO DA OBEDIÊNCIA

“O Senhor sabe livrar da provação os piedosos.” 2 Pe 2.9

Deus nos criou com o livre arbítrio. Nós temos a capacidade de fazer cumprir a nossa vontade. Assim, quando obedecemos a alguém, estamos abrindo mão do nosso arbítrio para fazer a vontade de quem nos ordenou.

Três forças nos levam a obedecer: a violência, o convencimento e a submissão.

Obedece por violência aquele que se vê obrigado a cumprir ordens sob grave ameaça de injúria física ou moral.

Há os que obedecem porque estão convencidos de que a ordem recebida é o melhor que poderia ser feito.

Obedece por submissão quem entende que o melhor a ser feito é simplesmente obedecer.

A Bíblia ensina que a nossa obediência a Deus deve se dar por submissão: não por medo e não somente quando concordamos com suas ordens.

A submissão, por sua vez, se dá em razão de três fatores: dever legal ou moral, revelação e amor.

Um soldado é submisso e obedecerá a ordem sem questionar sobre o seu acerto, pois esse é o seu dever.

Um crente passa a obedecer incondicionalmente quando o Espírito Santo lhe revela que esse é o melhor caminho.

Por fim, a mais impressionante razão da submissão é o amor, que leva a pessoa amante a submeter sua vontade ao desejo da pessoa amada simplesmente porque a ama.

Esses três fatores atuam conjuntamente para levar o cristão a uma vida de obediência.

Obedecemos, primeiramente a Deus e, depois, às autoridades delegadas por ele, porque é nosso dever como bons soldados de Cristo (2 Tm 2.3,4).

A capacidade de obedecer, por seu turno, se dá quando o Espírito Santo revela essa verdade. Muitos crentes até gostariam de obedecer, mas quando seus interesses são contrariados, as suas mentes carnais se exaltam e são protagonistas de grandes confusões. Não basta saber intelectualmente, é necessário ter a convicção interior produzida pela ação do Espírito Santo (1 Co 2.14; Hb 13.17; 1 Pe 2.18; 5.5).

Por fim, o amor torna a submissão prazerosa. Assim como o soberbo tem prazer em fazer prevalecer a sua vontade, o que ama tem prazer em obedecer à pessoa amada. Essa é a razão de Jesus dizer “se me amais, guardareis os meus mandamentos” (Jo 14.15. Ver também versos 21, 23 e 24).

Quando nos sujeitamos à vontade de Deus, passamos a lutar para que todas as coisas se sujeitem à Sua vontade. Agiremos diferentemente do mundo, onde cada um luta para submeter tudo e todos à sua própria vontade. Por isso, ao nos sujeitarmos a Deus, recebemos a sua confiança e a sua autoridade. Como consequência, usufruiremos a promessa de Deus de que, ainda que o diabo se levante contra nós como uma tempestade, ainda que venha como um terremoto que faz o chão fugir de nossos pés, devemos resistir firmes na fé, tendo a certeza que ele fugirá de nós (Tg 4.7).

About The Author

Pr. Humberto Schimitt Vieira

Presidente da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus Ministério Restauração, no Brasil, e do “Restoration Ministries”, nos Estados Unidos da América. Bacharel em Teologia, é conferencista, editor, professor de Missiologia e autor de diversos livros

Related posts

X