O QUE É, O QUE É…

… que está em aproximadamente 90% dos departamentos da igreja? Está nas orações, vigílias, Café Convívio, jejuns, retiros em geral, curso de teologia, ética ministerial, limpeza do templo, escolas bíblicas, escola de missões, montes, cenáculo, presídios, despedidas missionárias nos aeroportos, cultos de terça, quarta, quinta, sexta, sábado e domingo, bem como nos trabalhos da UF, e ainda arruma tempo para fazer visitas para o Projetro? Ainda não sabe?

Se você não pensou em um jovem, não se admire, nem fique triste por ter errado, pois o relato bíblico de João 6.9 diz que os discípulos também não sabiam o nome daquele rapazinho que colaborou para que Jesus alimentasse uma multidão de cinco mil homens. Anônimo, é verdade; mas não para Deus!

Hoje não é diferente. Todos os sábados uma multidão também é alimentada porque um rapaz ou uma moça resolve abrir mão da maior necessidade que o ser humano tem – comer – para, por meio de sua fé em Jesus, colocar à disposição do Mestre os seus “cinco pãezinhos e dois peixinhos”.

Talvez, você tenha pensado: “mas na minha congregação não tem uma multidão”. Refiro-me, na verdade, a ministérios, que sábado após sábado, são alimentados por jovens anônimos, a quem muitas vezes não damos a atenção devida ou até mesmo desprezamos. Mas isso é bíblico, pois a Bíblia mesmo diz que “não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus.” (1 Co 1.26-29).

Os três outros evangelhos não mencionam como os discípulos conseguiram os cinco pães e os dois peixinhos. Mas o Espírito Santo fez questão de dizer a João: “escreve aí que essa pessoa que creu no poder de Deus era um rapazinho!”

Não vamos cair no erro que caíram os discípulos, mas vamos descobrir o nome dos “rapazinhos”. E – por que não? – aprender com eles. “Porque pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um. Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros.” (Rm 12.3-5).

Participe dos cultos da juventude e conheça mais alguns desses jovenzinhos. Lembre-se: Jesus pode usá-los para matar a tua fome espiritual!

About The Author

Ev. Onofre Rafael Carpes

Encarregado da IPAD Ministério Restauração na Área Glória, em Porto Alegre/RS.

Related posts

X