MÃE, TEU FILHO É UM CORDEIRO NO MEIO DE LOBOS!

Numa ocasião, Jesus chamou setenta dos seus discípulos e os enviou, de dois em dois, com uma comissão ao mundo (Lc 10.1).

Talvez eles, com os seus corações cheios com as palavras do Mestre, estavam muito felizes. Talvez há muito ambicionassem fazer algo na Seara e sentiam-se como gigantes espirituais. Toda a sua vaidade, porém, caiu por terra, quando Jesus, ao dar-lhe as suas últimas instruções, preveniu-os: vocês irão como cordeiros ao meio de lobos (Lc 10.3).

Talvez tenham ficado com as pernas frouxas diante do Mestre. “Como cordeiro ao meio de lobos? Então não vale a pena sequer iniciar. Qual será a chance de vitória? Uma ovelha ou carneiro nada pode diante de um lobo. E nós? Que faremos?”.

Somos menores ainda. Menos força, menos condições. Apenas cordeiros! Nem sequer de alimento suficiente a um lobo serve um cordeiro! Morte certa! Para que sair? Mas isto é uma ordem. É uma lei para todo o seguidor de Cristo. Ide!

Mãe, teu filho salvo, teu filho nascido de novo passa a fazer parte de uma nação eleita, de um povo adquirido, e traz sobre os seus ombros o encargo de sacerdote real, sempre sob a ordem: Ide anunciar (I Pe 2.9). Tudo maravilhoso! Mas, aquele complemento… “como cordeiros ao meio de lobos?” as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz

Mãe, teu filho salvo, teu filho nascido de novo é chamado para ser a luz do mundo quando entra na escola de ensino fundamental, quando entra no ensino médio, quando ingressa no exército, quando entra para a faculdade, quando passa a exercer uma função na vida pública ou privada, conforme Mateus 5.4 “Vós sois a luz do mundo”. Mas quando passa a fazer parte de qualquer destas atividades, ingressa ali como um cordeiro no meio de lobos. Morte certa?

Mãe, teu filho salvo, nascido de novo, é chamado para ser o sal da terra, isto é, manter uma posição definida, conforme Mt 5.13 “Vós sois o sal da terra”, mas também… “como cordeiros ao meio de lobos”.

Mãe, teu filho foi chamado para ser vencido, derrotado, morto na primeira tentativa? Não! O negócio não é este. O negócio é outro. A ordem é “ide como cordeiros ao meio de lobos”, mas o cordeiro não deve, não pode sair sem o pastor. Ele não deve, não pode sair sozinho, se não quiser morrer.

Jesus é o pastor. Em Jo 10.11 está escrito: “Eu sou o bom pastor” e em Hb 13.20 “Nosso Senhor Jesus Cristo, grande Pastor das ovelhas”. Sem a companhia, sem a direção e sem a proteção deste Pastor, teu filho nada pode fazer, conforme Jo 15.5 “Sem mim nada podeis fazer”. Sem a companhia de Jesus, a morte é certa, conforme Jo 15.6 “Se alguém não estiver em mim, será lançado fora como a vara e secará”.

Para teu filho alcançar vitória na vida cristã, é necessário viver na companhia de Jesus, relegando todas as demais coisas, tanto na vida secular como na própria Seara, a um segundo plano, conforme Lc 10.32 “Mas uma só é necessária”.

É necessário esforço para permanecer na presença de Jesus, conforme Mt 6.33 “Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça”.

Buscar significa que aquela coisa não chega por acaso nas mãos de teu filho, mas com esforço precisa ir onde ela está.

Precisa buscar a presença de Jesus para que Ele esteja a sua frente. Quando chegar ao meio de lobos, precisa depender dEle, conforme Ex 33.15 “Se a tua presença não for conosco, não nos faça subir daqui”.

Essa dependência dEle em todas as coisas, identifica-o de tal forma com Ele, que no fim acabará pertencendo tanto a Jesus e Jesus a ele, que poderá afirmar do fundo da sua alma “O meu amado é meu e eu sou dele” conforme Ct 2.16 e, protegido pelo pastor, poderá sair como cordeiro ao meio de lobos.

Sabiamente alguém afirmou: “A mão que embala o berço é a mão que governa o mundo”.

Mãe, teu filho precisa do teu exemplo nessa jornada. Ele precisa da tua ajuda:

a) Lutando com Deus em seu favor.

b) Ensinando-o a ter a Palavra de Deus como lei áurea da sua vida e a posicionar-se ao seu lado diante da sociedade, no colégio, no trabalho, diante da igreja e perante a família.

c) Procurando ser sua confidente nas horas de lutas no colégio ou no trabalho. Nas suas crises emocionais, guiando-o, aconselhando-o e guardando com discrição as suas confissões.

d) Ajudando-o a vencer na vida secular e a alcançar a sua independência econômica.

Nossos filhos precisam do nosso posicionamento. Vamos aceitar o desafio? Vamos assumir?

About The Author

Irª Maria Schimitt Vieira

Membro da Sede Internacional da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus Ministério Restauração.

Related posts

X