FAMÍLIA FELIZ: UM PROJETO DE DEUS

Quando Deus criou o mundo, estabeleceu Adão em um belo jardim, e, entre muitas coisas, deu-lhe uma variedade imensa de alimentos (Gn 1.29; 2.16,17). Conhecendo o poder de Deus que, pela Sua Palavra, criou o universo e tudo o que nele existe, podemos compreender que, se fosse da Sua vontade, Ele poderia criar um único alimento que suprisse todas as necessidades nutricionais do ser humano. No entanto, por que não fez assim o Senhor?

Temos uma resposta: Deus deseja que a nossa alimentação seja realizada com prazer através da degustação dos diferentes sabores que a natureza nos proporciona!

Não somente na alimentação, mas num todo, Deus deseja que o homem tenha prazer na sua vida (Ec 5.18-19; 9.9; 11.9)

Infelizmente, muitos têm uma visão errada, considerando salvação sinônimo de sofrimento. É certo que negamos nossa vontade natural, enfrentamos o diabo cara a cara e, diariamente, precisamos negar as seduções deste mundo. Mas tudo isso para experimentar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus que nos leva a uma vida abundante de bem-aventuranças.

A família cristã deve ter a preocupação de buscar o bem estar para os seus membros de maneira que todos venham ter uma vida alegre e prazerosa, segundo o padrão divino.

O lazer, sadio e na medida certa (Dt 8.11), não faz mal para ninguém. Ao contrário: é uma necessidade que temos tanto para o corpo quanto para a alma. O próprio Senhor Jesus, nos seus raros momentos de repouso, procurava a casa de seu amigo Lázaro para descansar. Paulo, enquanto passeava pelas ruas de Atenas, recebia mensagens reveladas para o povo (At 17.23). Davi dizia que tinha prazer em meditar na lei do Senhor dia e noite. Isso só é possível para uma mente disciplinada a encontrar na leitura e na meditação fontes de alegria.

Existem atividades ótimas que unem a família, ajudam a descarregar o stress do dia a dia, trazem enriquecimento físico, cultural e afetivo. Isso trará influências positivas à vida espiritual.

Visitas a museus, monumentos, parques, ou, quem sabe, apenas uma caminhada pelo quarteirão no final da tarde e alguns momentos na pracinha no bairro, onde as crianças poderão brincar e os pais terem alguns momentos de conversa. Há alguns que gostam de passear de carro pela cidade, conhecer novos lugares, etc. O importante é que a família tenha um momento de lazer que agrade a todos.

Uma milenar fonte de distração e prazer é a leitura. Para quem ainda não adquiriu o hábito de ler, é necessário forçar um pouquinho no início, mas depois, torna-se como o nosso alimento. Quando provamos pela primeira vez a comida de sal, com raras exceções, não gostamos do sabor, cuspimos fora e até fazemos caretas. Mas, com o passar do tempo, nos adaptamos ao gosto, começamos a diferenciar sabores, criamos nossas preferências e… acabamos por ter que aprender a controlar nossos olhos que acabam desejando mais do que o necessário, tamanho o prazer que a comida nos proporciona.

Assim também acontece com os livros. Inicialmente pode ser um pouco cansativo, dar sono. Mas não desista. Procure um livro que lhe agrade, um tema interessante, algo que lhe chame atenção. Podem ser livros pequenos, até para crianças, quem sabe. O importante é adquirir o gosto pelo “sal”. Depois você mesmo descobrirá os vários sabores de leitura. E, como o salmista, terá prazer em meditar.

O universo escolar tem se tornado um centro disseminador de idéias humanistas onde Deus é retirado do centro de todas as coisas. A leitura prepara a criança para enfrentar este tipo de combate, pois ao ler diferentes autores ela passa a perceber que existem diferentes pontos de vista, que ela também pode ter o dela e que o mesmo deve ser respeitado. Isso lhe trará autonomia para julgar o que lhe dizem e aproveitar o que lhe é conveniente.

Para criar o hábito de leitura em sua família, apresente livros ao seu cônjuge, aos seus filhos. Ao invés de guardar os livros na prateleira mais alta da estante, deixe-os ao alcance de todos, espalhando-os por toda a casa. Deixe-os na cabeceira da cama, ao lado do sofá… Escolha livros que atendam ao interesse de cada faixa etária. Para crianças pequenas, a ilustração é muito importante. Adolescentes gostam muito de aventuras, suspense, biografias. Para adultos, é importante que o tema seja de interesse do leitor.

Existem livros para todos os gostos e todos os bolsos. Hoje, até mesmo nas lojas de R$ 1,99 encontramos bons livros. A Bíblia em quadrinhos, para colorir, em fascículos estão disponíveis a este custo. Também são oferecidos em estabelecimentos desse tipo livros clássicos como os de Machado de Assis, José de Alencar, Joaquim Manuel de Macedo, Bernardo Guimarães, Sir Arthur Conan Doyle, Alexandre Dumas, etc.

Não podemos deixar de recomendar os livros de Monteiro Lobato, Ana Maria Machado, Érico Veríssimo e Francisco Marins. Estes podem ser encontrados em livrarias convencionais ou em sebos (lojas de livros usados).

Como livros evangélicos recomendamos, para crianças e adolescentes, o livro Cada Lar Uma Escola, editado bimestralmente pela Editora Ramo da Videira, o livro A Arma Secreta de Deus, do pastor Humberto Schimitt Vieira, As Aventuras de Alan e Lilá, de Frank Peretti e a série Yuri, de Mirna Grant (esta última marcou minha infância).

Existem também uma série de biografias escritas pelo casal John e Elizabeth Sherril que são ótimas para adolescentes, jovens e adultos. Da obra destes autores podemos destacar A Cruz e o Punhal,O Refúgio Secreto e O Contrabandista de Deus.

Para adultos, há uma infinidade de títulos e autores.

As opções são muitas, mas devemos escolher sempre tendo em vista as palavras de Filipenses 4.8: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

About The Author

Dcª Gládis Machado

Diaconisa da Assembleia de Deus Ministério Restauração em Porto Alegre/RS. Pertence à diretoria da União Feminina e é professora da classe de moças da Escola Bíblica da Sede Internacional. É graduada em Teologia pela Faculdade Teológica de Educação e Ciências Logos (Faetel).

Related posts

X