DEUS PELEJA POR VOCÊ

“… contra quem alçaste a voz e arrogantemente ergueste os olhos? Contra o Santo de Israel.” (Isaías 37.23)

A Assíria havia dominado o mundo, conforme Isaías 37.18: “…os reis da Assíria assolaram todos os países e suas terras”. Deus havia dado permissão aos reis da Assíria para assolarem o mundo – “…eu quis que tu reduzisses a montões de ruínas as cidades fortes.” Conforme 2 Reis 17.24, a Assíria havia conquistado Babel, Cuta, Ava, Hamate, Sefarvaim.

As dez tribos do Norte, a nação de Israel, também chamada Samaria, que desde a sua fundação nunca se firmou na Santa Palavra de Deus (1 Reis 18.21: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos?”), havia sido levada cativa pelo rei Salmanasar, da Assíria (1 Re 18.11).

Agora, sendo Senaqueribe rei da Assíria, voltou seus olhos contra o minúsculo país de Judá, cujo território era formado apenas pela herança das tribos de Judá e Benjamin (2 Re 18.13: “Subiu Senaqueribe, rei da Assíria, contra todas as cidades fortes de Judá”).

A defesa militar de Judá era tão insignificante, que Senaqueribe, rei da Assíria, zombando, mandou dizer ao rei de Judá: “não quero proceder a um derramamento de sangue no teu país. Aconselho-te a entregar-te sem resistência”. Ele chegou a propor: “Dar-te-ei dois mil cavalos , se de tua parte achares cavaleiros para os montar” (Is 36.8).

Uma coisa, porém, não havia entrado na mente do rei da Assíria: é que o rei de Judá era servo do Deus vivo e vivia na Sua presença, como vemos em 2 Reis 18.5: “Confiou no Senhor, Deus de Israel, de maneira que depois dele não houve seu semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele”.

Deus cuida de Seus servos, como à menina de Seus olhos, conforme Deuteronômio 32.10: “guardou-o como a menina dos seus olhos”. Assim Deus cuidava do rei Ezequias e do seu povo. Qualquer ataque contra eles era feito diretamente contra a menina dos olhos de Deus. Os verdadeiros servos de Deus sabem disto. O rei Ezequias sabia disto. Ele também sabia que existe aqui na terra uma casa de Deus chamada a “casa de oração”, como está escrito em Mateus 21.13 e Isaías 56.7: “porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos”.

Olhando para os lados, nenhuma esperança havia para Ezequias e seu povo, mas olhando para cima ele via um Deus que enfeixava poder nas Suas mãos, como registra o Salmo 62.11: “Uma coisa disse Deus, duas vezes a ouvi; que o poder pertence a Deus”.

Ezequias era acostumado a permanecer na presença de Deus. Apanhou as atrevidas cartas das mãos dos mensageiros do rei da Assíria, leu-as e nada podia fazer, senão entregar tudo ao seu Senhor, em quem confiava. E foi o que ele fez: “Subiu À casa do Senhor e Ezequias as estendeu perante o Senhor, e orou Ezequias ao Senhor” (Is 37.14,15).

Deus, que cuida dos Seus servos que vivem na Sua presença e nEle confiam, sentiu algo lhe ferindo e não suportou. Levantou-se do seu trono e olhou para o coração de Senaqueribe (1 Samuel 16.7: “…o Senhor olha para o coração.”). Deus viu a sua fúria contra Ezequias e seu povo, mas Deus não disse que Senaqueribe estava furioso contra os Seus servos. Ao contrário, Ele disse: “tu estás furioso contra mim”, como vemos em Isaías 37.23 (“… contra quem alçaste a voz e arrogantemente ergueste os olhos? Contra o Santo de Israel.”) e em Isaías 37.28 (“Eu conheço o teu assentar e o teu sair e o teu entrar e o teu furor contra mim”).

Ezequias, usando como única arma os seus dois joelhos e a sua fé em Deus, alcançou uma vitória que nenhum dos povos poderosos da época havia alcançado.

Sem que houvesse uma espada na sua mão, destroçou o exército da Assíria: “…saiu o anjo do Senhor e feriu no arraial dos assírios a cento e oitenta e cinco mil”. O próprio rei Senaqueribe foi morto (Is 37.38).

Por isto, Deus continua dizendo a Seus filhos, conforme Romanos 12.19: “minha é a vingança, e eu recompensarei, diz o Senhor”.

Qualquer ataque feito contra o mais humilde servo de Deus é feito diretamente contra Jesus, e por isto mesmo Ele assume a responsabilidade, como está escrito em Mateus 16.18: “As portas do inferno não prevalecerão contra a minha igreja”.

About The Author

Irª Maria Schimitt Vieira

Membro da Sede Internacional da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus Ministério Restauração.

Related posts

X