DESCOBERTA A CONEXÃO QUE NÃO FALHA

Durante uma das vigílias semanais em nossa Sede Internacional, um jovem relatava-me que, durante seu envolvimento na faculdade, ele sentia-se “desligado”, até mesmo de Deus, e, por isso, sempre acabava pecando na mesma área. Enquanto o jovem explicava o processo, eu tentava lhe fortalecer com porções da Palavra de Deus. Foi quando ele me disse: “Mas, líder, não tem como eu fazer um trabalho, meditar nos estudos e ainda ficar ligado com Deus”. Imediatamente, entendi que o problema se dava por uma “queda na conexão”: os momentos em que ele não conseguia ficar “ligado” com Deus – faltava-lhe comunhão com o Senhor – eram propícios para a ação do inimigo.

Sabe-se que, no mundo virtual, existem diversas tecnologias que visam disponibilizar o acesso à Rede (Wi-Fi, 2G, 3G, 4G). A finalidade dessas ferramentas é oferecer um serviço de alta segurança, a qualquer momento e em qualquer lugar. O desenvolvimento de tais tecnologias tem sido muito rápido. Hoje, o tempo que se leva para baixar algum dado, foto ou trabalho é de poucos segundos ou, no máximo, minutos, enquanto que, há alguns anos, a mesma atividade exigiria horas de espera. Contudo, mesmo com o avanço das tecnologias, por muitas vezes ocorrem instabilidades devido à demanda excessiva por estas ferramentas. É quando acontecem as quedas de conexão.

Dentro do corpo da igreja, especialmente em meio à juventude, de igual forma, pode ocorrer algo semelhante: momentos em que a “conexão” – ou seja, a comunhão – sofre uma queda. E este problema se dá geralmente porque o jovem não sabe o que tem. A Palavra diz que Pedro e João chegaram diante do paralítico, e Pedro disse: “… mas o que tenho, isso te dou; em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” (At 3.6b). O relato diz que eles estavam indo orar, e a situação que viram, o quadro pintado em sua frente, os pensamentos que lhe assaltaram na mente não foram suficientes para fazer com que Pedro perdesse a “conexão”. E, por não perder esta “conexão”, ele pôde dizer ao paralítico “anda!”, e ele andou. Pedro não estava buscando essa conexão: ele já tinha.

Hoje, é normal vermos em todos os lugares pessoas clicando em seus aparelhos à procura de redes disponíveis, e a cada “clic” sempre lhes são oferecidas várias possibilidades de conexão. Isso é exatamente o que faz o mundo (kosmos), apresentando várias conexões/oportunidades, mas, para nós, Geração Eleita, há uma só Rede, a qual não é nem analógica, nem digital, mas, sim, Celestial. “Portanto se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à destra de Deus” (Cl 3.1).

Daniel 1.8 diz: “Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se”. Amados, além de o jovem Daniel ter decidido tomar um posicionamento, ele teve de rejeitar as iguarias do rei e o seu vinho, e ainda foi ter com o chefe dos eunucos. Não pensem vocês que Daniel não era tentado: imaginem que, do lado esquerdo e do lado direito do seu quarto, havia festas, orgias e toda sorte de coisas que instigam a concupiscência de um jovem. A própria mudança do nome de Daniel era uma tentativa de envolvê-lo na nova sociedade, no novo ambiente social, nas “novas tecnologias”. Porém, acima de tudo, ele sabia o que tinha, e usava isso da melhor maneira, a ponto de não se contaminar com nada. Ou seja, não bastou resolver firmemente, ele avançou para conquistar aquilo para o qual fora conquistado.

Não basta termos e sabermos da existência da “conexão” (comunhão). Em Gálatas 5.25, diz: “Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.” Em Judas 20, diz: “Vós, porém, amados edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo.” Em Filipenses 4.8, diz: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (grifo nosso).

Podemos estar lendo, estudando ou fazendo qualquer coisa, em qualquer lugar, a qualquer hora, e, nesse momento, sermos tentados em qualquer área. Ei, eu falei em qualquer área! O próprio Senhor Jesus foi tentado em tudo (Hb 4.15), mas não pecou, porque vivia conectado ao Pai, e só fazia o que o Pai lhe mandava (Jo 8.29).

About The Author

Ev. Onofre Rafael Carpes

Encarregado da IPAD Ministério Restauração na Área Glória, em Porto Alegre/RS.

Related posts

X